Proposta pedagógica

Pedagogia Freinet

A Proposta Pedagógica da Escola baseia-se nos Princípios da Pedagogia Freinet, acreditando que educar é construir juntos, conduzir com as mãos.

 

A Pedagogia Freinet é uma proposta/uma educação que respeita o indivíduo e a diversidade e reencontra a identidade própria do ser humano por meio da individualidade de cada um, e respeita as crianças, sem submetê-las a modelos pré-estabelecidos. É uma pedagogia real e concreta que procura oferecer às crianças e aos adolescentes uma educação condizente com as suas necessidades e mediante as práticas cotidianas.

para site

Após refletir e avaliar cada criança, resolveu levá-las a um passeio pela região e a cada passo ia percebendo o quanto de aprendizagem viva era possível ter em uma atividade como essa. Criou assim a “Aula de Descobertas” com o espírito de integrar a escola à vida.

 

Logo ao chegar de volta à classe, Freinet pediu às crianças que contassem o que observaram e sentiram durante o passeio; foi anotando no quadro o que elas falavam. Em seguida leu para todos as frases e percebeu a alegria e o interesse provocado em cada olhar, em cada sorriso. Constatou na prática a pulsação da leitura. Assim nascia a Pedagogia Freinet: o texto livre.

Celestin Freinet
0450

A história deste francês educador e poeta começa em 15 de outubro de 1896, quando nasceu em Gars, nos Alpes Marítimos da França. Ainda jovem teve que interromper seus estudos para lutar na Primeira Guerra, de onde voltou com problemas respiratórios, devido aos gases das bombas inalados durante o processo.

 

Iniciou uma grande revolução na educação nos anos vinte, adotando uma postura prática e teórica de recusa a uma educação apassivadora. Observando seus educandos notou que eles prestavam mais atenção no que ocorria fora da sala de aula, pois se mostravam cheios de vida, curiosos e criativos, diferente da postura passiva de sala.

indiozinhos

As descobertas de Freinet foram baseadas na sensível avaliação individual diária de cada educando, assim constatou ao longo dos anos suas necessidades, expectativas, desenvolvimento, criando “As Invariantes Pedagógicas”. Ao introduzir novas técnicas e consolidar uma filosofia da educação, preocupou-se em dar à criança a dignidade e o respeito, levando para a sala de aula a vida.

 

Sua célebre frase “Já não estamos sós” aconteceu ao receber a primeira correspondência interescolar de um colega professor na Bélgica. Ali se estabelecia a comunicação, um dos eixos de sua pedagogia. As técnicas foram surgindo e a mudança ímpar foi se consolidando até surgir a assembléia e todos participarem das decisões do grupo e assumirem suas responsabilidades e organização do trabalho.

 

Nasce a “Reunião Cooperativa”, o grupo fica forte, clarificam seus direitos e deveres num real exercício de cidadania. São muitos os eixos, os pilares desta pedagogia que une crianças e educadoras no mundo inteiro: – Vida Cooperativa – Livre Expressão – Educação do Trabalho – Tateamento Experimental – Afetividade , como um farol no processo do ensino aprendizagem.

O principio da cooperação

Permite desenvolver entre as crianças e entre estas e os professores, relações que conduzem à organização das diversas modalidades de trabalho como: conversa livre, conselho de classe, reunião cooperativa em acordo com a idade dos alunos.

A comunicação e a expressão livre

Propicia uma aprendizagem viva e real desde que a criança tenha liberdade de expressar o seu pensamento em todas as circunstâncias que lhe são permitidas: o desenho a palavra oral e escrita, as construções etc. – Expressão e comunicação – Conversa livre, textos livres, expressão corporal e artística, assembleias debates.

O tateamento experimental

É um processo que se inscreve no “dever” global de cada criança como parte integrante da formação de sua personalidade. Não é uma técnica pedagógica tendo por objetivo a assimilação do saber, nem um simples caminhar em busca da aquisição do saber. É um ato inteligente desempenhado por um ser que busca a construção do seu conhecimento.

 

A superioridade do “tateamento experimental” está no fato de que o homem e a criança não copiam um tateamento e sim o constroem, gerando assim a experiência. Segundo Freinet o tateamento experimental contribui para a edificação da inteligência.

Afetividade

Elo de ligação ente as pessoas e objeto de conhecimento.